Métodos de Recuperação

Os métodos de recuperação são as maneiras pelas quais uma acumulação de hidrocarbonetos é produzida e dependem do comportamento do reservatório em questão. Trata tanto dos mecanismos de produção de petróleo e gás proveniente da energia naturalmente contida na acumulação, quanto das formas de energia artificialmente introduzidas na jazida por meio de poços de injeção. Não fazem parte dos métodos de recuperação os métodos de elevação artificial (gas lift, BCSS e etc.) e a estimulação de poços (ex: fraturamento hidráulico e acidificação), visto que estes dependem mais do comportamento dos poços de produção do que do reservatório.

São dois os mecanismos que dependem apenas de energia natural e que são utilizados para retirar os fluidos do reservatório:

  • A despressurização do reservatório causa os efeitos físicos de expansão dos fluidos nele presentes e de contração dos poros. O efeito é análogo ao esvaziamento de um balão de festa, no qual a liberação do ar causa uma redução de pressão que provoca tanto a expansão do ar confinado quanto a retração da película do balão, contribuindo para a expulsão adicional de ar e realimentando o processo de despressurização até que as energias expulsivas se esgotem. O gás do Campo de Manati é produzido por despressurização.
  • O deslocamento de um fluido por outro, como em acumulações de hidrocarbonetos conectadas a um aquífero, a produção de fluidos estimula a invasão da água na zona de hidrocarbonetos expulsando-os.  Os dois mecanismos citados serão responsáveis pela produção do Campo de Atlanta. Outro exemplo de deslocamento de fluidos por energia natural ocorre em reservatórios de petróleo com capa de gás, nos quais a expansão do gás pelo efeito de despressurização é muito superior ao do petróleo ajudando a expulsá-lo em direção dos poços produtores.

O método de recuperação primária se refere à quantidade de hidrocarbonetos recuperados exclusivamente pela energia natural contida no reservatório (energia primária). No entanto, ele normalmente está associado a fatores de recuperação baixos, que podem ser tão baixos como 5% para óleos pesados e 10% para óleo leves dependendo das condições e propriedades dos fluidos e das características do reservatório.

Para aumentar o fator de recuperação e/ou antecipar a produção dos fluidos, os métodos secundário e terciário injetam artificialmente energia no reservatório, suplementando a energia perdida e melhorando a eficiência do deslocamento do petróleo. Os métodos de recuperação artificiais são aplicados em campos de petróleo. Os campos de gás, de forma geral, são desenvolvidos exclusivamente por recuperação primária.

Os métodos de recuperação secundária repressurizam a jazida e deslocam o petróleo pelo reservatório por meio da introdução artificial de fluidos. A água é fluido mais frequentemente usado, mas também é possível usar o gás. Estes métodos tem o potencial de duplicar o fator de recuperação do Campo.

Os métodos de recuperação terciária viabilizam uma produção de petróleo maior do que os métodos anteriores já que além dos mecanismos de repressurização e deslocamento do petróleo através do reservatório, buscam alterar as propriedades dos fluidos e a interação entre eles e a rocha, reduzindo a resistência ao fluxo do petróleo no meio poroso. Estes métodos podem ser químicos, térmicos, miscíveis ou microbiológicos e são sempre acionados pela injeção de fluidos através de um poço. Alguns exemplos são: injeção de polímeros, surfactantes, espumas, vapor, água quente, gás carbônico, nitrogênio e microorganismos. Os métodos de recuperação terciária mais usados e que tem escala de campo e viabilidade comercial são: a injeção de vapor e de gás carbônico. As aplicações offshore dos métodos terciários, porém, são muito restritas.

Os métodos de recuperação podem ser sobrepostos como no uso de injeção de água desde o início da vida produtiva de um campo. A aplicação de um método terciário não concomitante ao secundário pode ocorrer, por exemplo, em campos de óleo extra-pesado, viáveis só com a injeção de vapor. Os métodos de recuperação secundária também são conhecidos como “métodos convencionais de recuperação secundária”, enquanto que os de recuperação terciária são “métodos especiais de recuperação secundária”, “métodos especiais de recuperação” ou “métodos de recuperação avançada” (“Enhanced Oil Recovery”, EOR).

Última atualização em 2015-04-29T18:32:17

Downloads


Apagar este documento do carrinho
Limpar Lista Baixar Documentos