Bacia de Pará-Maranhão

Considerada uma bacia de nova fronteira, a Pará-Maranhão situa-se na porção central da margem equatorial brasileira – no litoral dos estados do Pará e Maranhão – ocupando uma área de, aproximadamente, . As atividades já realizadas nessa bacia indicam a presença de óleo leve  na região.

 

Blocos PAMA-M-265 e PAMA-M-337

Na 11ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, a QGEP adquiriu participação em dois blocos de água profunda na bacia do Pará-Maranhão: os Blocos PAMA-M-265 e PAMA-M-337. Em ambos a QGEP é a operadora do bloco e possui 100% de participação. Os tipos de prospectos nos blocos possuem características similares a da região da Foz do Amazonas, porém com estilo estrutural diferente. São esperadas acumulações mistas, estrutural e estratigráfica. O fluido predominante esperado é óleo.

No Programa Exploratório Mínimo comprometido com a ANP, há a previsão de sísmica 3D para ambos os blocos e há também o comprometimento de um poço exploratório no Bloco PAMA-M-337. Em relação ao conteúdo local, para ambos os blocos, o compromisso é de 37% na fase de exploração e 65% na fase de produção.

O Consórcio completou a aquisição de dados sísmicos no segundo trimestre de 2016 e realizará o processamento desses dados ao longo de 2016.  

Última atualização em 2017-01-24T17:33:54

Downloads


Apagar este documento do carrinho
Limpar Lista Baixar Documentos